home Variedades A realidade aumentada e as marcas

A realidade aumentada e as marcas

O termo “realidade aumentada” ainda parece algo tecnológico demais para nós, mas isso não passa de uma falsa impressão. A verdade é que já convivemos com ela e isso ficará cada vez mais presente em nossas vidas.

Por mais complexo que pareça ser, a realidade aumentada é fácil de entender, pois nada mais é do que a união do mundo real com o virtual através de alguns objetos como smartphone, webcam, óculos e outros.  Mas o que isso muda para as marcas?

Primeiro, precisamos bater mais uma vez na tecla do comportamento do consumidor. Esse tipo de acontecimento muda os hábitos das pessoas e, logo, o que chamam sua atenção e a sua forma de consumir.

Em segundo lugar vem a questão do diferencial competitivo e inovador. Essa é uma oportunidade para diferentes ativações de marca que pode mudar drasticamente os resultados finais. Você está pronto para arriscar? Veja alguns pontos importantes sobre o assunto:

É possível experimentar

Para entender e explorar qualquer recurso novo é importante testá-lo e conhecer suas capacidades e limitações. Com a realidade aumentada também é assim e você não precisa de óculos caríssimos para ter uma experiência dessas.

O maior exemplo disso é um dos assuntos mais falados na internet nas últimas semanas: o game Pokémon Go, que será lançado em breve no Brasil e leva elementos digitais para o mundo real através da câmera do celular e incentiva a “caça aos pokémons” pela cidade.

Esse é só um exemplo de realidade aumentada, que já ganhou inúmeros adeptos e está impactando todo o mundo, inclusive economicamente. Mas outros aplicativos podem ser citados como o Augment, que também usa a câmera do celular para criar objetos virtuais, e o conhecido Google Tradutor, que mostra a tradução de textos em tempo real utilizando a câmera de um IOS ou Android.

Promete mudanças em diversos segmentos

Segundo o portal Vida 3D, a realidade virtual promete ajudar as pessoas a realizarem qualquer tarefa. Por exemplo, para consertar algum aparelho, um guia digital pode apontar exatamente o que as pessoas precisam fazer para finalizar a tarefa. Esse tipo de serviço pode reinventar o mercado e também as maneiras de se produzir conteúdo entre as marcas.

Outro segmento que pode se beneficiar dessa tecnologia é a educação, com a interação dos alunos na hora de adquirir conhecimento, seja vendo ossos do corpo humano em tamanho real, estudando átomos ou história. Já existem empresas trabalhando nessa ideia e o que se espera é que esse tipo de transformação só ajude no interesse e desenvolvimento de pessoas de todas as idades no ambiente estudantil.

Preste atenção nos games

Para finalizar, vale a pena lembrar que os games (principalmente de realidade aumentada) estão ganhando mais e mais espaço na vida das pessoas e, assim, as marcas precisam começar a pensar em como se relacionar com essas ondas de interesse ou mesmo criar sua própria maneira de fidelizar por meio dessa dinâmica.

Se você gosta de inovação não deixe de conhecer a Taggli, o primeiro Content Commerce do Brasil: www.taggli.com

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *